Home | BLOG
WhatsApp (11) 5853-4000 Espaço do Cliente Espaço do Cliente

Alimentos fitness: por que apostar nesse mercado em alta?

Primeiramente, foi a tendência das academias. Em seguida, os influenciadores digitais começaram a falar sobre o assunto. Todos criamos uma preocupação maior com a saúde nos últimos anos. Nesse sentido, os alimentos fitness conquistam cada vez mais espaço no mercado.

O crescimento do setor de alimentação fitness impressiona: 98% nos últimos anos. Ele já movimenta US$ 35 bilhões anualmente só em nosso país, o que faz do mercado brasileiro o quarto maior do mundo.

Ter uma alimentação nutritiva é uma preocupação de 28% da população, mas esse número só tende a crescer. O seu restaurante já está preparado para atender essa demanda? Leia este artigo para saber o que é alimentação fitness e como apostar nela!

Qual é a diferença entre alimentos fitness e saudáveis?

Quando dizemos que a alimentação fitness está em alta, não estamos falando em alimentos saudáveis de maneira ampla. Ainda que os dois tipos possam fazer bem para a saúde, eles se distinguem. Essas distinções ficam claras em um cardápio e, por isso, é preciso prestar atenção.

A alimentação saudável procura consumir alimentos nutritivos de forma balanceada. Ela não propõe restrições rígidas; basta consumir todos os nutrientes importantes. Sua única restrição, por assim dizer, é evitar frituras e ultraprocessados, que são ricos em açúcar, gordura e sódio.

Por exemplo, uma refeição brasileira comum — com arroz, feijão, uma carne e algumas saladas — é saudável. Mas não pode ser considerada uma alimentação fitness.

Os alimentos fitness são aqueles que se encaixam em dietas com objetivos específicos: perder peso, ganhar massa muscular e garantir um melhor desempenho atlético são alguns dos mais comuns. É normal que os adeptos desse tipo de refeição se exercitem frequentemente.

Alguns exemplos de alimentação fitness são:

  • low carb: que reduz ou corta alimentos ricos em carboidratos;
  • sem glúten: que reduz ou corta todos os alimentos que contém glúten;
  • sem lactose: que reduz ou corta todos os derivados do leite de vaca;
  • vegetariana: que corta todo o tipo de carne;
  • vegana: que corta todos os produtos de origem animal.

Por isso, mesmo que os alimentos fitness possam ser saudáveis, uma alimentação saudável nem sempre será fitness.

Como montar um cardápio fitness?

Com a tendência da alimentação fitness, começar a oferece-la no seu restaurante pode fazer toda a diferença.

Mesmo quem serve alimentos normalmente associados a pouca nutrição, como pizzas e hambúrgueres, pode fazer alterações significativas.

Se o seu restaurante oferece delivery, melhor: muitas pessoas buscam opções fitness para entrega e não encontram. Os clientes procuram algo que vá além das marmitas que eles mesmos podem preparar.

Aliás, marmitas congeladas são uma ideia que se popularizou no último ano. Elas se tornaram a fonte de renda de muitas pessoas no começo da pandemia e ajudam os clientes a se manterem saudáveis nos dias mais agitados. Além disso, é possível fazer uma compra que dura a semana inteira no congelador.

Alimentos fitness

Confira abaixo algumas dicas para montar um cardápio equilibrado com alimentos fitness.

Comece pelo básico

Antes de começar a montar esse cardápio, estude para saber mais sobre os diferentes grupos alimentares.

Quais são as fontes vegetais de proteína? O que são gorduras boas? Qual é a diferença entre carboidratos simples e complexos? Quais são as possíveis formas de montar um prato rico em fibras, proteínas e gorduras boas?

Com esse estudo prévio, você evita cometer erros simples que podem prejudicar sua postura diante dos clientes. E claro, também começa a ter uma ideia de quais alimentos não podem faltar no seu restaurante.

Inclua os alimentos mais populares

Essa lista pode mudar de tempos em tempos. Mas existem alguns alimentos que caem nas graças de quem busca uma alimentação fitness. Veja abaixo quais são os principais no momento:

  • oleaginosas, como nozes e castanhas: fontes de proteínas, minerais, vitaminas e gorduras essenciais;
  • grão-de-bico: rica fonte de proteína para dietas sem produtos de origem animal;
  • sementes, como chia e linhaça: fontes de ômega 3 e fibras;
  • aveia: rica em fibras, reduz a absorção de açúcar e gordura;
  • abacate: fonte de gordura boa, proporciona saciedade;
  • tapioca: fonte de carboidrato sem glúten;
  • ovo: fonte de proteína e gorduras boas.

Tome cuidado com as preparações

Quando se trata de alimentos fitness, o modo de preparo é muito importante. Isso porque o método escolhido pode prejudicar algumas das qualidades desses ingredientes.

Por exemplo, o uso excessivo de óleo desequilibra a nutrição de um prato fitness. Com muita gordura, ele perde os benefícios que o cliente quer alcançar com esse tipo de alimentação. Por isso, é preferível alimentos cozinhados ao vapor ou assados. A escolha do tipo de óleo também importa: o de coco é preferível aos vegetais comuns.

Quando o assunto é uma alimentação sem glúten, isso é ainda mais importante. Muitas pessoas escolhem essa dieta por serem alérgicas a esse composto de proteínas. Esse problema é conhecido como doença celíaca.

Pessoas com a doença celíaca não podem ter contato com glúten de nenhuma forma. Por isso, é preciso evitar a contaminação cruzada. Isso significa que todos os utensílios de cozinha utilizados para manipular alimentos com glúten estão proibidos; é preciso ter materiais próprios. Isso evita que o cliente alérgico passe mal.

Retire ingredientes proibidos

Apesar de cada dieta fitness ter suas restrições, alguns alimentos quase nunca fazem parte delas. Retirá-los do preparo dos pratos é essencial para o seu cardápio. Veja abaixo alguns desses ingredientes:

  • gorduras saturadas, como a gordura animal, a manteiga e o óleo vegetal;
  • bebidas alcoólicas com alto teor de açúcar;
  • alimentos ultraprocessados em geral;
  • balas, pirulitos e refrigerantes.

Vale lembrar que essas restrições não significam que quem come alimentos fitness não consome outras opções. Mas eles são evitados de forma regular; por isso, não fazem sentido dentro de um cardápio fit.

Você pode optar por manter seu cardápio atual e criar um separado com alimentos fitness. Também pode preferir que todo o menu do seu delivery seja fit, tornando o seu restaurante de nicho. Ou, ainda, criar possibilidades de substituições. O mais importante é entender que essa tendência do Food Service veio para ficar.

Pode ser com poucos carboidratos ou poucas gorduras; com ou sem glúten; com leite de amêndoas ou de soja. A alimentação fitness é cada vez mais comum e influencia nossas preferências como um todo!

A MegaG é uma fornecedora de alimentos para o setor de Food Service que se preocupa com as tendências. Acesse nosso site e conheça nossos produtos e serviços!

COMPARTILHE ESSE POST:

    Motivo:

      Motivo: